Serviço de Apoio à Familia

Colónia de Férias

São objectivos da Colónia de Férias proporcionar às crianças:

  • estadias fora do quadro habitual de vida;
  • contactos com comunidades e espaços diferentes;
  • vivências em grupo, como formas de integração social;
  • promoção do desenvolvimento do espírito de inter-ajuda;
  • fomento da capacidade criadora e no espírito de iniciativa

 

A colónia de férias no Centro Social realiza-se todos os anos durante julho e agosto contando com o apoio do IPDJ Leiria.

As férias representam um tempo em que as crianças se encontram consigo próprias, com os outros e com a natureza. Significam um tempo para recuperar forças, um tempo de crescimento e de descoberta.

A Colónia de Férias destinada à satisfação de necessidades de lazer e de quebra de rotinas representa uma resposta essencial ao equilíbrio físico, psicológico e social das crianças, sobretudo das que se encontram em situação de maior vulnerabilidade.

Colónia de Férias

Atividades para as férias de verão, em parceria com o IPJ, habitualmente realizadas entre julho e agosto para crianças dos 3 aos 16 anos.

Banco Alimentar

Uma resposta necessária, mas provisória, porque “toda a pessoa tem direito a um nível de vida suficiente que lhe assegure e à sua família, a saúde e o bem-estar, principalmente quanto à alimentação, ao vestuário, ao alojamento, à assistência médica e ainda aos serviços sociais necessários” (Excerto do artigo 25º da Declaração Universal dos Direitos do Homem).

Os Bancos Alimentares são Instituições Particulares de Solidariedade Social que lutam contra o desperdício de produtos alimentares, encaminhando-os para distribuição gratuita às pessoas carenciadas.

A acção dos Bancos Alimentares assenta na gratuitidade, na dádiva, na partilha, no voluntariado e no mecenato.

Os Bancos Alimentares em actividade recolhem e distribuem várias dezenas de milhares de toneladas de produtos e apoiam ao longo de todo o ano, a ação de instituições em Portugal. Por sua vez, estas distribuem refeições confecionadas e cabazes de alimentos a pessoas comprovadamente carenciadas, abrangendo já a distribuição total mais de 390.000 pessoas.

A Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome coordena esta ação, anima a rede disponibilizando informação e meios materiais, representa os Bancos Alimentares Contra a Fome junto dos poderes públicos, das empresas de âmbito nacional e de organizações internacionais e efectua, a nível nacional, a repartição de algumas dádivas, criando uma vasta cadeia de solidariedade.

Prolongamento de horário no pré-escolar com actividades lúdico- pedagógicas

A autarquia tem vindo a organizar ofertas diversificadas em função das necessidades das famílias, garantindo, assim, que os complementos de horários sejam pedagogicamente ricos e complementares das aprendizagens associadas à aquisição de competências básicas.

Esta oferta, onde se desenvolvem actividades de animação sócio-educativas que estimulem nas crianças o gosto pelo brincar e pelo mundo do “faz de conta”, visam colmatar as necessidades dos pais que, face às exigências profissionais, têm dificuldade em estar com os filhos logo após as actividades curriculares.

A educação pré-escolar integra uma componente educativa, desenvolvida por educadores (as) de infância durante os períodos lectivos definidos pelo Ministério da Educação, com a duração diária de 5 horas, e uma componente de apoio à família, que integra os serviços de alimentação e de complemento de horário durante os períodos lectivos e durante os períodos de interrupção lectiva.

O Centro Social, em parceria com o Município, assegura este serviço para as crianças a frequentar as escolas da freguesia.

Cantina Social

A Cantina Social surge no âmbito do Programa de Emergência Alimentar, promovido pelo Instituto de Segurança Social, I.P.

Foi decidido implementar uma Rede Solidária de Cantinas Sociais através de protocolos assinados com entidades consideradas representativas do sector solidário.

Este programa tem o propósito e a preocupação de atuar nas situações mais vulneráveis em termos de carência alimentar, através de uma lógica de proximidade e maximização dos recursos já existentes.

Este protocolo permite ao Centro Social distribuir até um máximo de 30 refeições.

Os critérios para aceder a este apoio alimentar foram estabelecidos pelo Instituto de segurança Social e estão vertidos no Regulamento da Cantina Social, o qual está acessível e é disponibilizado a todos os candidatos. De realçar que os candidatos podem procurar este apoio alimentar espontaneamente ou ser encaminhados pela Segurança Social ou Rede Social da Nazaré.

×

Olá!

Fale com connosco no WhatsApp, pelo tel. 262 552 094 ou envie-nos um email para: csdfdf@sapo.pt

× Olá, em que podemos ajudá-lo?